quarta-feira, 10 de março de 2010

     

        Mãe Miriam

  (Vicência Jaguaribe)

Mãe, da vida saíste sutil
Como nela entraste.
Sem estardalhaço
Como por ela passaste.
Sem grandes e vistosas
Atitudes que te dessem
Um lugar no pavilhão
Dos mártires ou dos heróis.
O teu fazer foi miúdo
Como os grãos de areia
E sutil como a folha que cai
Para dar lugar a outra chegante.

(Ninguém a ti atribuiu
O vestido que velou
A nudez da mulher
O lençol que agasalhou
O velho paralítico
As moedas que compraram
O remédio de quem morria
E o leite de quem nascia.)

Por esse teu deslizar pela vida,
Mãe, eu te saúdo com o respeito
Com que o anjo Gabriel, um dia,
Saudou uma outra Mãe,
Também Miriam,
Em uma outra época
Em um outro lugar.

Por esse teu resvalar por nossas vidas,
Mãe, eu me curvo à tua lembrança,
Como um dia,
Num tempo muito distante,
Isabel curvou-se a uma outra
Mãe, a uma outra Miriam,
Mãe Miriam.

10 comentários:

Aíla Sampaio disse...

Curvar-se à lembrança de quem 'deslizou pela vida' é resgatar a memória e manter viva uma chama que não apaga nunca: nossa mãe!

Beijo, Aíla

Mônica Magalhães Cavalcante disse...

Parabéns pela iniciativa, Vicência. Já era tempo.

Reinventandos--se disse...

Vicência, você estava inspirada quando escreveu esse poema, que retrata sua mãe com perfeição: uma pessoa suave e discreta.
Os quatro últimos versos da primeira estrofe são tão belos que comovem. Parabéns, amiga.
Beijos
Lourdinha

Anna Myrna disse...

Adorei a idéia do Blog!!! E o poema de abertura mais ainda. Bjs!!

Margleice Pimenta disse...

Parabéns pelo texto. Concordo com a Aíla, que a nossa mãe é uma chama viva que não se apaga. É um bem precioso guardado em nossas memórias.

Beijos
Margleice

Eduardo Lara Resende disse...

Esse poema vale a visita ao blog. Vale a visita e vale seguir seus escritos. Lembra exortação de Montaigne quando recomenda, a respeito da morte: "...Dê lugar aos outros, como deram lugar a Você".

Ariane Queiroz disse...

Adorei a idéia do blog...adoro ler o que você escreve.

Anna disse...

Belíssimo poema! Quero mais...

Erlene disse...

Vicência, estou maravilhada com este seu blog. O poema de D. Mirian é lindo e consegue nos cativar para queremos adentrar na sua escritura. Ademais, amei, a mais não poder, sua homenagem à Carolina e ao Vinícius. Sou sua fã. Beijos.

Anônimo disse...

Oi, Vicência
Amei seu blog todo:textos, fotos, organização, estética. Seus textos emocionam, passam p/ nós o fino da vida,o quase indizível. Que a palavra engenhosa esteja sempre c/ vc.

bjs
Lucinha